“A existência da #RTCP também é um convite: 𝐂𝐨𝐧𝐡𝐞ç𝐚 𝐨𝐬 𝐍𝐨𝐬𝐬𝐨𝐬 𝐏𝐚𝐥𝐜𝐨𝐬.” É o que se lê nas redes sociais da Direcção-Geral das Artes (DGARTES), onde se divulgam os espaços que integram a RTCP – Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses.

O anúncio da criação da RTCP foi recebido com satisfação e com esperança, a começar pelo próprio sector cultural, que aderiu com entusiasmo (mais de 80 equipamentos culturais na primeira fase de credenciação). As redes profissionais criam, e com razão, expectativas para uma melhor colaboração e aproveitamento de recursos, um desenvolvimento mais sólido e sustentável, assim como para a criação de conhecimento e a melhoria das práticas.

Ao mesmo tempo, e sendo o cumprimento da lei da acessibilidade (DL 163/2006) um requisito prévio para a credenciação, levantaram-se dúvidas quanto ao grau de cumprimento por parte da maioria dos espaços-membros da RTCP. Esta preocupação foi partilhada pela Acesso Cultura com o Ministério da Cultura e com a DGARTES num email enviado a 4 de Outubro de 2021.

Nesse email, fazia-se referência às lições aprendidas com a criação da Rede Portuguesa de Museus, em 2000, que seguiu o mesmo caminho: a acessibilidade foi inicialmente apresentada como requisito prévio, depois desapareceu, as melhorias pós-credenciação têm sido poucas e pontuais, enquanto novos museus, inacessíveis, vão sendo credenciados.

A história repete-se 20 anos depois, sem que se possa verificar alguma melhoria na forma de o Estado assumir a sua responsabilidade para com os cidadãos com deficiência. No dia 28 de Novembro, a Acesso Cultura, com a ajuda da Associação Salvador e do Centro de Vida Independente, disponibilizou à DGARTES dados básicos, mas concretos, sobre as condições de acessibilidade numa pequena amostra de espaços-membros da RTCP (apenas 10, dos quais 7 apresentavam desconformidades). As desconformidades resultam em falta de acessibilidade para o público, mas também para membros das equipas desses espaços e artistas.

Um mês depois, a DGARTES respondeu reafirmando a sua missão de “prossecução do serviço público e afirmação dos teatros e cineteatros como instituições abertas à sociedade, bem como a promoção do direito à fruição e criação cultural qualificada de toda a população, em todo o território.”  Quanto à credenciação de espaços que não cumprem a lei, é dito que esta “visa garantir o cumprimento de padrões de rigor e de qualidade no exercício das respetivas atividades culturais e artísticas” e que, nesse sentido “a DGARTES encontra-se, nomeadamente, a delinear uma ação de valorização e qualificação dos recursos humanos.” Afirma-se ainda que “O arranque da RTCP é ainda recente, estando, por isso, em contínuo crescimento e solidificação dos seus requisitos” e que “a DGARTES fará o acompanhamento da qualidade das respetivas atividades culturais e artísticas e da qualidade técnica dos equipamentos credenciados, não deixando de exigir medidas corretivas sempre que necessário.”

Para quem está há muito a trabalhar no sector cultural e para quem tem uma deficiência, os argumentos do “contínuo crescimento e solidificação dos requisitos” ou das “medidas correctivas” ou da “valorização e qualificação das equipas” são conhecidos e têm sido inconsequentes. O facto é que o requisito da acessibilidade torna-se rapidamente numa mera “recomendação” e a obrigação de cumprir a lei numa “opção”.

Quem não tem uma deficiência pode ter todo o tempo no mundo para planear formações e remeter para o futuro o cumprimento da lei. As pessoas com deficiência não têm esse tempo. Esse tempo é agora.

Assim, manifestamos o nosso profundo desagrado pela falta de rigor na implementação dos requisitos básicos de adesão à RTCP, que resulta na exclusão e discriminação das pessoas com deficiência (público, profissionais e artistas), cujos direitos são mais uma vez desrespeitados e desvalorizados.

P’la Acesso Cultura
Rita Pires dos Santos, Vice-Presidente

P’la Associação Salvador
Joana Gorgueira, Gestora de projeto na área das acessibilidades 

P’lo Centro de Vida Independente
Jorge Falcato, Presidente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s