Encontro com Marta Porto

Cartaz do encontro

A Acesso Cultura e a Artemrede organizaram no dia 28 de Junho de 2018 um encontro com Marta Porto.

Ler a palestra

Marta Porto é curadora, gestora cultural e jornalista. Cultura importa?, questiona-nos.

É preciso reinventar os sonhos que moldam o mundo. Isso significa actuar naquele substrato humano que soma uma ideia de racionalidade sobre como o mundo é e deve funcionar e uma esperança de que a vida se realize próxima dos nossos desejos, esperanças, necessidades e motivações. Isso significa também um retorno a um ideal aristotélico de “poética”, o lugar onde se valoriza a potência da imaginação humana para criar mundos e realidades diferentes das que um determinado tempo-espaço nos brinda. Tornar a linguagem um acto de fala, onde se cria ou propõe uma realidade e não a representa apenas.

O que seria o espaço da cultura, das artes a cada tempo histórico, com as suas equações, verdades, postulados e crenças sobre sucesso e fracasso, se não esse? E como pensar a cultura e as artes como este repositório de ideias, imagens, actos e pulsões que reunidos nas mais diversas linguagens, línguas, visões e cosmovisões que formam um amálgama das crenças e sonhos da humanidade, para desenhar políticas capazes de actuar concretamente num mundo que pede, exige mudanças e transformações? Neste encontro, iremos debater qual o principal contributo que as artes, a cultura e as políticas que as sustentam podem dar para promover valores democráticos e plurais, estimular imagens que conduzam a novas crenças de como queremos construir sociedade e, por fim, garantir a liberdade inerente às práticas artísticas e culturais.

Nota biográfica
Marta Porto é jornalista, com o Mestrado em Ciência da Informação e Pós-graduação em Psicologia Junguiana, Arte e Teoria do Imaginário. É curadora, gestora cultural, conferencista internacional e autora de artigos e ensaios publicados na imprensa, em colectâneas de livros e revistas especializadas. Também é consultora da Organização dos Estados Iberoamericanos (OEI) para programas de cultura e desenvolvimento. Tem trabalhado nos últimos 25 anos para promover as artes, a cultura, a publicidade e o entretenimento como plataformas de transformação no imaginário social. Actualmente dirige um estúdio de arte e comunicação, a Plano A Studio e está associada à Agência da JUNTOS, agência de comunicação por causas, lançada em 2016.