Prémio Acesso Cultura 2014: Deliberação do júri

Prémio Acesso Cultura 2014
Museu da Comunidade Concelhia da Batalha

O Museu da Comunidade Concelhia da Batalha apresenta um conjunto de preocupações com a acessibilidade, nas suas diversas componentes, que poderemos qualificar de excelente e mesmo de referência no panorama museológico nacional, sobretudo pelo seu carácter extraordinariamente abrangente. Em áreas que vão do acesso físico, adequação espacial e museográfica, ergonomia, conforto, segurança e autonomia, até à adopção de uma estratégia multi comunicacional, a acessibilidade é abordada como uma necessidade de primeira grandeza e pensada numa perspectiva de continuidade. Esta postura é concretizada pela disponibilização de um significativo leque de recursos especiais direccionados para pessoas com baixa mobilidade, com baixa visão ou cegas, surdas ou com deficiência intelectual, crianças e visitantes estrangeiros.

Menção honrosa
Teatro Nacional D.Maria II

O Teatro Nacional D. Maria II tem vindo a desenvolver nos últimos anos um trabalho continuado e consistente na melhoria da acessibilidade daquele equipamento, considerada nas suas vertentes social, arquitectónica e comunicacional, numa lógica que se estende à sua própria programação. No sentido de garantir a igualdade de oportunidades no acesso à oferta teatral, é dedicada uma especial atenção a públicos com necessidades especiais, espectadores seniores, desempregados, adultos em percursos de exclusão, crianças e jovens em situação de risco. Nesta candidatura merece igualmente particular destaque a preocupação demonstrada pelo Teatro Nacional D. Maria II com a formação dos seus recursos humanos em questões relacionadas com a acessibilidade e a preocupação com os estudos de públicos com necessidades especiais.

Menção honorsa
Grupo Crinabel Teatro

O grupo Crinabel Teatro representa um projecto já com a considerável longevidade de quase três décadas de criação artística  na área do teatro, valorizando, promovendo e difundindo as competências sociais e criativas do cidadão portador de deficiência mental, numa lógica de transversalidade do direito à cultura, à arte e ao pensamento criativo. O trabalho deste grupo evidencia uma contínua capacidade de inovar e de promover a integração de pessoas em risco de exclusão social, tal como fica demonstrado pelo facto de algumas delas virem posteriormente a integrar projectos de teatro, cinema ou televisão. Este grupo merece ainda particular destaque pelo seu papel na formação de recursos humanos na área do ensino especial, disseminando assim experiências, metodologias e boas-práticas em matéria de acessibilidade e integração.

O Júri:
Ana Brito, Arquitecta, Instituto Nacional para a Reabilitação
José Vale, Museólogo
Mickaella Dantas, Bailarina

11 de Junho de 2014