23 de Fevereiro
18h-21h
Online, no Zoom
Com Denise Pollini

Em uma entrevista realizada em 2018, o filósofo Boris Groys cita um texto escrito por ele no início dos anos 1990: “Em um dos meus primeiros textos, escrito no mesmo período de Über das Neue [1992], eu escrevi que não ficaria surpreso se um dia, após uma nova revolução, curadores fossem enforcados em postes de luz da mesma forma que a aristocracia francesa, porque eles incorporam a mesma ordem feudal”.

Que a neutralidade dos Museus seja questionada não é uma novidade, mas o que podemos localizar de novo é a atual força deste questionamento. Junto à este, vem acompanhada a pergunta: os Museus como os conhecemos tem futuro? Os sinais apontam que podemos estar a viver um novo paradigma na relação da sociedade com os Museus. Quais as origens e os componentes destas demandas?

No seminário, serão abordados os seguintes pontos:

  • “Museums are not Neutral”: um novo paradigma?
  • A Crítica Institucional e a morte dos Museus;
  • O Museu-empresa, o Museu-fábrica e o Museu-fórum;
  • De onde vem o dinheiro? Filantropia e ativismo museal;
  • O ativismo de dentro para fora e de fora para dentro dos Museus;
  • “Uma Breve Reflexão sobre Mapas”: propostas para um caminho futuro.

Público-alvo

Profissionais de cultura

Preçário

Normal: €12
Estudante/desempregado: €10
Associado da Acesso Cultura: €8

Ficha de inscrição

Nota biográfica

Denise Pollini foi coordenadora do Serviço Educativo do Museu de Arte Contemporânea da Fundação de Serralves, entre 2015 e 2021. Entre 1999 e 2015, exerceu a mesma função no Museu de Arte Brasileira em São Paulo, Brasil. Em cerca de 22 anos de trajetória profissional, tem idealizado e coordenado projetos educativos destinados ao público escolar, à formação para professores, às famílias e crianças assim como iniciativas no âmbito da inclusão social e intelectual. Na área dos programas destinados ao público adulto, desenvolveu inúmeros projetos de mediação artística, assim como encontros, mesas redondas, conferência e seminários. Atualmente, trabalha como investigadora e consultora na área de educação em museus e mediação cultural. É membro associado da Acesso Cultura, Portugal.