Conferência 2017: notas biográficas

Alexandre Matos
Mestre e Doutor em Museologia pela Universidade do Porto. Director do Departamento de Investigação e Formação da Sistemas do Futuro, Lda. e Professor Afiliado no Departamento de Ciências e Técnicas do Património da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. A sua actividade académica e profissional tem como principal foco a investigação na área da gestão e documentação de coleções em museus e paralelamente na utilização da tecnologia no sector do património cultural. Foi responsável pela primeira tradução da norma SPECTRUM para português e faz actualmente parte da equipa que gere a tradução e adaptação da norma nos territórios de Portugal e Brasil através do projecto SPECTRUM PT. É membro do conselho consultivo do projecto eCultSkills e embaixador do eCultObservatory. Faz parte dos corpos gerentes do ICOM Portugal (2013-2016) e é sócio da Associação Portuguesa de Museologia (APOM). É também autor do blog Mouseion.

Ana Margarida Silva
Aluna do Doutoramento em Ciência da Informação da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra; Mestre em Ciência da Informação e Documentação pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa; e Mestre em História Contemporânea pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. A sua dissertação de mestrado “O uso da Internet e da Web 2.0 na difusão e acesso à informação arquivística: o caso dos arquivos municipais portugueses” venceu o 1º Prémio Olga Gallego de Investigacion en Archivos 2015. É arquivista desde 2004 e tem trabalhado em arquivos públicos e privados. Organizadora de encontros científicos, palestrante, autora de livros e de artigos publicados em revistas científicas de referência com revisão por pares, tem focado temas relacionados com organização e representação da Informação.

Catarina Mendo
Licenciada em Ciências e Tecnologias da Documentação e Informação pelo Instituto Politécnico do Porto, onde obteve o diploma de melhor aluna do curso de 2016. Trabalha como bibliotecária estagiária na Fundação Cupertino de Miranda, em Vila Nova de Famalicão, a realizar o registo digital dos acervos ligados ao Surrealismo. Ingressou em 2016 no Mestrado em Ciência da Informação na Universidade do Porto. É também licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos pela Universidade do Minho. Tem experiência no âmbito de bibliotecas académicas, nomeadamente no Instituto Politécnico do Porto, resultante de uma bolsa do Banco Santander. Realizou estágio na biblioteca e arquivo central na empresa DST, SA.

David Santos
Historiador de arte e curador de arte moderna e contemporânea. Doutorado em Arte Contemporânea pelo Colégio das Artes da Universidade de Coimbra. É atualmente Subdiretor-Geral do Património Cultural. Foi Curador-Geral da BF16 (Bienal de Fotografia / V.F. Xira), de Outubro 2016 a Janeiro de 2017; Director do Museu do Neo-Realismo (2007-2013) e Director do Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado (2013-2015). Autor de diversos estudos sobre arte publicados em catálogos e volumes coletivos. Foi distinguido em 2015 com o Prémio (ex aequo) de Crítica e Ensaística de Arte e Arquitetura – AICA/Fundação Carmona e Costa, e ainda com o Prémio APOM de Investigação. Foi também docente convidado do ensino superior e crítico de arte em semanários e revistas. É mestre em História Política e Social (Universidade Lusófona), pós-graduado em História de Arte e licenciado em História, variante de História de Arte, ambos pela FCSH da Universidade Nova de Lisboa.

Eloy Rodrigues
Director dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho. Em 2003, liderou a criação do RepositoriUM – o repositório institucional da Universidade de Minho. Desde 2008, lidera a equipa da UMinho que desenvolve o projecto Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal. É membro do EUA Expert Group on Science 2.0/Open Science,  em representação do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, e tem coordenado a participação da UMinho em vários projetos (como o OpenAIRE e o FOSTER) financiados pela UE e relacionados com os repositórios e o acesso aberto. Foi eleito em Abril de 2015 Presidente do Conselho Executivo da Confederation of Open Access Repositories (COAR), para o mandato de 2015 a 2018.

Fátima Sales
Professora Associada da Universidade de Coimbra, Curadora do Herbário da Universidade de Coimbra, investigadora do Centro de Ecologia Funcional e Research Associate do Royal Botanic Garden Edinburgh (RBGE); é ainda Fellow da Linnean Society of London; e também membro do Conselho Estratégico do Parque Natural da Serra da Estrela (PNSE). É Taxonomista Vegetal e doutorou-se pela University of Edinburgh em 1991. Tem estado envolvida como coordenadora e colaboradora em projectos vários nacionais e internacionais que envolvem as floras da região do Mediterrâneo e África, mas também a flora portuguesa. Lecciona em universidades nacionais e estrangeiras. Como Curadora da maior Colecção Biológica portuguesa, tem estado especialmente envolvida na gestão, informatização e disponibilização de informação botânica e ainda no desenvolvimento de métodos e técnicas modernos de herbário.

Hilário Lopes
Quadro da RTP desde 1985, desenvolveu actividade na Engenharia e Tecnologias até ao ano 2000, altura em que passou a integrar a área dos Arquivos Audiovisuais. Nos arquivos RTP desempenhou varias funções e foi líder de diversos projectos nas áreas da recuperação, restauro e digitalização, designadamente, a recuperação dos acervos filme e vídeo obsoleto. Foi ainda o responsável pela implementação do sistema de arquivo digital da empresa. Actualmente é Director-Adjunto da Direcção de Relações Institucionais e Arquivo e responsável pelo projecto PAR (PORTAL ARQUIVO RTP: A nossa memória colectiva à distância de um click…), co-financiado pela União Europeia através do FEDER.

Joaquim Santos
Licenciado em Biologia pela Universidade de Coimbra. Ao longo do seu percurso profissional tem participado em projectos de diversas áreas, nomeadamente em ecologia, bases de dados biológicas, educação de ciência, entre outras. Actualmente trabalha no Herbário da Universidade de Coimbra, onde se encontra a desenvolver uma plataforma para permitir a participação de cidadãos na informatização das colecções.

Mafalda Sebastião
Licenciada em Direito e Mestre em Direito Intelectual pela Faculdade de Direito da Universidade Clássica de Lisboa. Exerce, desde 2002, advocacia na área da Propriedade Intelectual. É também, desde 2006, Produtora de Actividades Culturais e, desde 2011, Professora de Produção no curso de Artes Performativas, na Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa.

Marlene Oliveira
Mestre em Ciência da Informação pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e Mestre em Ciências da Comunicação – Publicidade e Relações Públicas, pela Universidade do Minho. Licenciada em Ciências e Tecnologias da Documentação e Informação pelo Instituto Politécnico do Porto. É responsável pela Biblioteca da Fundação Cupertino de Miranda, V.N. de Famalicão, desde 2006. Foi assistente convidada na Escola Superior de Estudos Industriais de Gestão (2010-2016) e na Escola Superior de Hotelaria e Turismo (2016-2017). Dá formação nas áreas da gestão da informação e organização de eventos.

Merete Sanderhoff
Conservadora e Consultora na área das práticas digitais no SMK – Statens Museum for Kunst em Copenhaga, trabalha para o acesso aberto às colecções e para a re-utilização das suas colecções digitalizadas. Participa frequentemente, como oradora e moderadora, em conferências internacionaos sobre património digital. Tem, igualmente, organizado várias conferências, tendo promovido a questão do acesso aberto no seio da comunidade GLAM (Galleries, Libraries, Archives and Museums) com a conferência Sharing is Caring. Tem várias publicações na área da prática digital nos museus, inclusivamente a antologia Sharing is Caring: Openness and Sharing in the Cultural Heritage Sector. É a Presidente da Europeana Network Association e é membro do Conselho Consultivo do OpenGLAMe do DIAS-Digital Interactive Art Space.

Miguel Carvalhais
Designer e músico. É professor auxiliar na Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto e investigar no INESC TEC, dedicando-se aos novos media e design de interacção. Estuda os media computacionais e as práticas criativas com sistemas procedimentais, e é autor de um livro sobre estes tópicos, “Artificial Aesthetics”. http://carvalhais.org

Rita Campos
Doutorada em Biologia pela Universidade do Porto, é actualmente investigadora em Comunicação de Ciência num projecto de colaboração entre o Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (CES-UC), o Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade do Porto (CIBIO/InBio-UP) e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Brasil (UFRN). O foco do seu projecto é comunicar a importância da biodiversidade para as sociedades humanas, com ênfase na ligação entre biodiversidade e saúde, desenvolvendo actividades que promovam um diálogo activo entre a academia e a sociedade. Este projecto é uma continuação do trabalho que tem desenvolvido desde 2009 nas áreas da comunicação de ciência e educação não formal e que inclui a produção de recursos de divulgação de ciência em acesso aberto.

Rui Penha
Compositor, artista intermédia e performer de música electroacústica. Completou um Doutoramento em Música (Composição) na Universidade de Aveiro. A sua música foi tocada e gravada por músicos como Arditti Quartet, Peter Evans, Remix Ensemble ou Orquestra Gulbenkian. Foi fundador e curador da Digitópia (Casa da Música) e tem um grande interesse pela relação entre a música e a tecnologia. A sua produção recente inclui interfaces para expressão musical, software para espacialização sonora, instalações interactivas, robôs musicais, autómatos improvisadores e software educativo. Leccionou em diversas instituições de ensino superior Portuguesas (DeCA-UA, ESMAE, ESART, ULP) e é actualmente Professor Auxiliar Convidado na FEUP e Investigador Sénior no INESC TEC. Mais informações em http://ruipenha.pt

Silvestre Lacerda
Arquivista, Curso de Especialização em Ciências Documentais, opção Arquivo, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Desde 2008, integra o Comité Intergovernamental do Programa ADAI: Iber-Archivos, para apoio ao desenvolvimento de arquivos ibero-americano e membro do Comité Directivo da Associação Latino-Americana de Arquivos (ALA) – ramo regional do Conselho Internacional de Arquivos. Desde 2005, integra o Grupo de Peritos em Arquivos, junto da Comissão Europeia, denominado EAG – European Archival Group e representa Portugal no EBNA – European Board of National Archives. Desde 2016  é Presidente do Comité de Peritos da Comissão Nacional da UNESCO, no âmbito do Programa Memória do Mundo. Desde Julho de 2015 é Director-geral da Direcção-geral de Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas e Director do Arquivo Nacional da Torre do Tombo.

Teresa Duarte Martinho
Socióloga, completou a licenciatura e o doutoramento em Sociologia no ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL), onde concluiu também o Mestrado em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação. Mestre em Estudos Curatoriais, pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa/Fundação Calouste Gulbenkian. É investigadora no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa  (ICS-ULisboa), com o apoio da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), tendo como principais temas de interesse as políticas culturais em Portugal, a mediação da cultura e as relações entre o digital e a cultura. Organizou e é autora, com João Teixeira Lopes (FLUP) e José Luís Garcia (ICS-ULisboa), do livro Cultura e Digital em Portugal, publicado pelas Edições Afrontamento (2016). De 1996 a 2011 integrou a equipa de investigadores do Observatório das Actividades Culturais, criado pelo Ministério da Cultura e entretanto extinto. Foi jornalista entre 1990 e 1996, com trabalho focado no sector das artes e da cultura.

Teresa Nobre
Advogada especializada em Propriedade Intelectual. Presta serviços jurídicos em Propriedade Intelectual a empresas tecnológicas, empresas criativas, artistas, sociedades de advogados, universidades e entidades públicas. Clientes atuais e passados incluem entidades de Lisboa, Porto, Londres, Genebra, Luanda e Nova Iorque. Coordenadora jurídica do projecto português da Creative Commons. É responsável por adaptar todas as licenças CC e demais ferramentas jurídicas à legislação portuguesa e por prestar apoio aos licenciantes portugueses. Encontra-se, presentemente, a elaborar um estudo comparativo sobre limitações e excepções ao direito de autor para fins educativos na Europa, no âmbito do projecto da CC “Open Educational Resources Policy in Europe”. Dá conferências e aulas em diversos temas relacionados com Propriedade Intelectual, incluindo sobre licenças CC. Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Master of Laws (LL.M.) em Propriedade Intelectual pelo Munich Intelectual Property Law Centre (Max-Planck – Gesellschaft, Augsburg, TUM, GW Law).