19 e 20 de Abril Esgotado
21 e 22 de Abril  Esgotado
9h30-12h30

Online

Formadores: Luís Ramos Pinto e Alexandra Lourenço

Neste curso de formação, mostramos como as colecções online e em alta-resolução de acesso aberto – isto é, objectos que se encontram no domínio público -, facilitam o ensino, estudo e investigação das colecções, para além de ser uma excelente ferramenta de promoção de um museu. O acesso aberto constitui ainda um pré-requisito para a inclusão de conteúdos nas plataformas Wikipédia e Europeana. Neste curso, apresentamos as ferramentas disponíveis e as boas praticas necessárias para que os museus e os arquivos possam disponibilizar as suas colecções online. Discutimos os resultados observados em museus que seguem uma política de acesso aberto.

Público-alvo

Profissionais de museus e arquivos, especialmente directores e responsáveis pela inventariação e comunicação

Preçário

Normal: €30
Estudante/Desempregado: €25
Associado da Acesso Cultura: €20

Ficha de inscrição

Notas biográficas

Alexandra Lourenço é Directora de Serviços de Apoio Especializado, Recursos Documentais e Relações Públicas da Secretaria–Geral do Ministério da Justiça; vice-Presidente da Mesa da Assembleia da BAD – Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Profissionais da Informação e Documentação; docente no Mestrado em Gestão e Curadoria da Informação, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

Luís Ramos Pinto é museólogo e historiador de arte, apaixonado pela internet e os enormes benefícios que a mesma pode trazer para o mundo dos museus. Coordenou a maior rede mundial de profissionais ligados ao património digital, a rede da Associação Europeana. Mais tarde, foi assessor da Direcção-Geral do Património Cultural, onde orientou os 22 museus e monumentos nacionais com as suas políticas digitais.