LISBOA – Museu do Aljube
2 de Dezembro de 2019
Segunda, 9h30-12h30 e 14h-17h
Formadoras: Maria Vlachou e Marta Ramos

Há uma crescente preocupação dos profissionais da cultura em relação à forma como comunicam com o exterior. Através do nosso curso de comunicação acessível, temos procurado promover os princípios da linguagem clara. A linguagem clara prioriza o leitor/ouvinte. A implementação das suas técnicas permite descobrir o que as pessoas não sabem, o querem saber e proporcionar essa informação de forma a que seja entendida logo à primeira. Não se trata de infantilizar ou banalizar a linguagem, trata-se de ganhar consciência de que não estamos a comunicar com especialistas.

À esta preocupação, junta-se a da linguagem inclusiva. Cada vez mais profissionais desejam conhecer melhor os seus princípios e formas de implementação. O que se pretende é evitar o uso de uma linguagem que exclui e que promove ou reforça estereótipos.

Tendo em consideração as necessidades manifestadas pelos profissionais da cultura, desenhámos este curso com o objectivo de partilhar informação, ensinar técnicas e ajudar a melhorar a forma como se comunica com o exterior, mas também dentro das equipas.

Público-alvo

Profissionais da comunicação e mediação cultural, directores, gestores, programadores, responsáveis de recursos humanos.

Valor de inscrição
Normal: €30
Estudantes/desempregados: €25
Associado Acesso Cultura: €20

Ficha de inscrição 

 

NOTAS BIOGRÁFICAS

Maria Vlachou é consultora em Gestão e Comunicação Cultural. Membro fundador e Directora Executiva da associação Acesso Cultura. Autora do blog Musing on Culture (e do livro homónimo), onde escreve sobre cultura, gestão e comunicação cultural, públicos, acesso. Foi Directora de Comunicação do São Luiz Teatro Municipal (2006-2012) e Responsável de Comunicação do Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva (2001-2006). Membro dos corpos gerentes do ICOM Portugal (2005-2014) e editora do seu boletim. Colaborou com os programas Descobrir e Próximo Futuro da Fundação Calouste Gulbenkian. Fellow e membro do ISPA – International Society for the Performing Arts (2018). Alumna do DeVos Institute of Arts Management at the Kennedy Center for the Performing Arts (Washington, 2011-2013); Mestre em Museologia pela University College London (1994); Licenciada em História e Arqueologia (Universidade de Ioannina, 1992).

Marta Ramos é Mestre em Direitos Humanos e Democratização. Desempenha actualmente as funções de Directora Executiva da Associação ILGA Portugal. Trabalhou previamente no Gabinete do Comissário para os Direitos Humanos do Conselho da Europa, no Parlamento Europeu e na Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género. Integra a Associação ILGA Portugal desde 2011, onde tem desenvolvido trabalho especializado na área da sensibilização e combate aos crimes de ódio contra pessoas LGBTI, através da implementação e coordenação dos projetos Observatório da Discriminação e UNI-FORM. Co-coordena o Departamento Jurídico da Associação e é também responsável pelo acompanhamento de requerentes de asilo e pessoas refugiadas LGBTI.