NOVAS DATAS A ANUNCIAR

Uma pessoa com deficiência auditiva não consegue ouvir um alarme de incêndio. Um cego não consegue ver a sinalética de evacuação. Uma pessoa em cadeira de rodas não pode fugir pela escada. Pelo ponto de vista da segurança contra incêndios e da evacuação, os nossos edifícios foram pensados exclusivamente para pessoas sem qualquer condicionalismo à sua mobilidade ou incapacidade. Neste curso pretende-se ensinar a identificar as principais dificuldades na deslocação de pessoas com necessidades especiais em situações de emergência e a desenvolver estratégias para a sua protecção no local ou para a evacuação segura. Serão abordados os procedimentos a ter em conta na elaboração de Planos de Emergência e os requisitos legais de constituição, formação e treino das equipas de emergência internas.

No curso serão abordadas as seguintes temáticas: Tipos de sinistros (incêndio, sismo, inundação, etc.) e as condicionantes de cada um deles; Enquadramento regulamentar português relativo às equipa de segurança, planos de emergência, formação e simulacros; Comparação com legislação de outros países; Organização de segurança, elaboração de planos de evacuação, formação da equipa e simulacros; Estratégias de protecção das pessoas com necessidades especiais, nomeadamente deslocação para espaço seguro adjacente e criação de zonas refúgio; Estratégias de deslocação das pessoas com necessidades especiais.

PÚBLICO-ALVO
Directores, Directores Técnicos, Responsáveis pela Segurança, Frente de Casa, Comunicação

NOTA BIOGRÁFICA

Paulo Prata Ramos tem licenciatura e mestrado pré-Bolonha em Arquitectura e uma pós-graduação em Protecção Contra Incêndios em Edifícios. É projectista de Segurança Contra Incêndios em Edifícios (SCIE) há mais de dez anos, com certificação para edifícios de 3ª e 4ª categorias de risco, tendo sido técnico responsável de cerca de uma centena de projectos e medidas de auto-protecção, em Portugal, Angola, Argélia e França. Escreve regularmente artigos técnicos para revistas da especialidade, nomeadamente Revista Segurança e Revista Proteger, parte dos quais escritos no âmbito do doutoramento em SCIE. É sócio do atelier ETU, gabinete especializado no projecto e consultoria de SCIE. Foi director técnico da Culturgest.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s